Comitiva de Barra do Choça e representantes de entidades governamentais discutem o abastecimento de água na região

DSC_0049

A comitiva de Barra do Choça – formada pelos vereadores Anaelton dos Santos Freitas, Francisco Amorim Neto, o Secretário Municipal de Agricultura Eric Fabiano, o Diretor do Departamento de Meio Ambiente Cresio Lima e o presidente da associação de pequenos produtores irrigantes do município Valter Felix – participou  de uma reunião com o presidente da Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista Gilzete Moreira, o gerente regional da Embasa José Olímpio, o Diretor da Secretaria de Segurança Hídrica da Bahia Marcelo Rabelo, o Secretário de Meio Ambiente de Vitória da Conquista Carlos Teles, o professor da UESB Hugo Costa e o professor da UFBA Orlando Silvio Neves na última terça-feira, 17 de maio, para discutir os rumos do abastecimento de água à população da região, a curto, médio e longo prazo. O evento aconteceu no auditório da Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista.

Abrindo a reunião, o presidente da Casa falou que está preocupado com a atual situação hídrica da região, pois as barragens estão com o nível muito baixo e alguns lugares já enfrentam racionamento de água, como é o caso da cidade de Conquista. Salientou que a participação dos presentes vai ser de muita importância para mudar a realidade e garantir o abastecimento de água da região.

O Secretário Municipal de Agricultura de Barra do Choça Eric Fabiano enfatizou a inoperância e ineficiência do governo do Estado da Bahia referente à água da região em pauta, a qual possui um sistema de abastecimento de água criado há 60 anos para atender a demanda de 80 mil pessoas e, hoje, atende quase meio milhão de pessoas, sem a devida estrutura. Segundo Eric, além da falta de investimentos em infraestrutura, o Estado e a Embasa nunca desenvolveram estratégias para a preservação e conservação das matas e nascentes da região. Em seguida, esclareceu que o problema da água é emergencial e que o processo de licitação para a construção da barragem do Rio Catolé deve ser feito o mais rápido possível para resolver o problema do abastecimento.

O vereador Anaelton relatou que a seca, realidade vivenciada nos últimos anos, vem prejudicando a população e a economia da região, citando como exemplo a queda na produção de café e a consequente diminuição na oferta de emprego no município de Barra do Choça. Sendo assim, segundo Anaelton, por conta da real situação os pequenos agricultores estão cada vez mais dependentes de uma cultura irrigada como meio de sobrevivência. Falou também que as lideranças políticas de Barra do Choça já vêm há muito tempo lutando para resolver o problema do abastecimento de agua à população.

DSC_0055

Já o vereador Francisco, questionou quais os motivos que levaram a Embasa nunca ter desenvolvido projeto de recuperação dos rios e nascentes junto aos proprietários de terras que fazem parte da bacia hidrográfica “explorada economicamente” pela referida empresa. Falou também que não entende a atitude dos órgãos de fiscalização do Estado, pois enquanto os pequenos produtores são reprimidos e restringidos pelo uso da água, os grandes produtores fazem uso livremente. Diante da escassez de água, pediu urgência na construção da barragem do Rio Catolé.

O senhor Valter falou que entende a prioridade dada ao uso da água para o abastecimento humano, mas enfatizou que a realidade dos membros da associação representa a total dependência do uso da água, pois se trata de pequenos produtores que utilizam a agricultura como meio de sobrevivência. Sendo assim, espera que o Governo do Estado faça com urgência a construção de barramentos para resolver o problema de todos.

Segundo o gerente da Embasa, José Olímpio, o governo realizou três processos licitatório e em nenhuma das oportunidades apareceram empresas interessadas em desenvolver o projeto de construção da mencionada barragem. Esclareceu que o governo já está reavaliando o projeto e espera que em breve seja realizada a construção. Falou que a Embasa não quer prejudicar ninguém, só quer proteger os usuários.

Para o professor Hugo, quando as pessoas estão diante de uma realidade que todos dependem de um determinado bem, o governo tem que proporcionar condições para que todos sejam contemplados, pois tanto os usuários/consumidores de água quanto os produtores têm a necessidade do uso da água; além de tudo, todos dependem destes para colocar comida na mesa.

Por fim, os representantes comprometeram-se, por meio de suas entidades, buscar meios junto ao governo do Estado para apressar o processo licitatório e começar o quanto antes a construção da barragem para resolver o problema do abastecimento de água da região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *